Postado em 12 de Dezembro de 2018 às 10h12

Antes tarde do que nunca: Diplomata deposita oitava parcela dos avicultores

Avicultores da região recebem oitava parcela, do total de 96, do Frigorífico Diplomata. Pagamentos são referentes ao ano de 2012

 

Xaxim - Já virou rotina para os avicultores de Xaxim e Região. Todo dia 11 do mês, eles saem de suas propriedades rurais para ir até a sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais para receber o dinheiro referente aos pagamentos atrasados do frigorífico Diplomata. As contas são referentes ao mês de agosto de 2012 para trás, e os débitos estão sendo parcelados em 96 vezes.

“Não é o que a gente queria, mas é como dizem ‘melhor um pássaro na mão do que dois voando’”, diz Odete Rossoni, avicultora residente em Linha Pilão de Pedra, interior de Xaxim. Ela e seu marido possuem cerca de R$ 40 mil para receber. Porém, saem do auditório do Sindicato com um envelope contendo pouco mais de R$ 200. “A primeira parcela foi um pouco maior, e agora são parcelas de aproximadamente R$ 200. É pouco se comparado ao valor total, mas graças a Deus e ao trabalho do sindicato, caso contrário teríamos apenas perdido tudo”, comenta. 

Dona Odete não é a única a elogiar o trabalho desenvolvido pelo sindicato, pois através da entidade mais de 1100 avicultores de toda a região sul que trabalhavam para a Diplomata estão recebendo valores que não haviam sido pagos em 2012. De acordo com o presidente do Sindicato, Ledinho Curtarelli, o fato é reconhecido inclusive em Cascavel/PR, local da sede da empresa. 

“De acordo com a lei, após a recuperação judicial, os avicultores seriam os últimos a receber o pagamento. Através do nosso departamento jurídico, comandado pelos advogados Valdir Ieisbick e Anderson Piasseski, conseguimos explicar que sem o trabalho dos avicultores, não há frigorífico, e consequentemente não há empregos. Após treze assembleias, conseguimos o acordo”, explica Curtarelli.

A situação não é lá tão vantajosa para Vilmar Lunardi, avicultor com propriedade em Barra do Golfo, interior de Marema. Ele possui cerca de R$ 13 mil para receber da Diplomata, porém, devido ao parcelamento feito de maneira igual, em 96 vezes, entre todos os avicultores, o produtor rural volta para casa com pouco mais de R$ 70. “É preciso aproveitar a viagem para fazer outra coisa por aqui. Caso contrário, não vale a pena fazer 25 km para receber. É complicado, mas com certeza é melhor receber do que continuar no prejuízo”, diz Vilmar, relatando que passou por tempos difíceis após o fechamento do frigorífico. “Era a minha fonte de renda, quando fechou tivemos que fazer financiamentos para investir em gado de leite, para diminuir, e variar a produção. Acabamos fazendo mais dívida. É um alento que este valor, mesmo que seja em muitas parcelas, pelo menos volte ao nosso bolso. 

Modesto De Martini, de Xanxerê, tem uma história um pouco diferente. Era servidor público, e há alguns anos atrás havia adquirido um pedaço de terra onde construiu um aviário. “Queria ter mais uma atividade, e surgiu uma oportunidade na Linha Três Pontes. Porém, com a crise no setor, e sem os pagamentos dos últimos meses, tudo deu errado. Me vi obrigado a usar meu salário para cobrir os prejuízos do aviário. Foi triste e muito difícil pois tínhamos os financiamentos para pagar. Graças ao trabalho do sindicato de Xaxim vamos reaver este dinheiro, caso contrário nunca mais”. 

Veja também

Câmara de Vereadores de Xanxerê presta homenagem ao Teatro e Neri de Paula16/05 Nesta Segunda-Feira, dia 20 de Maio, a Cia de Teatro Xã-Xã-Erê, e seu diretor Neri de Paula, recebem um placa "Moção de Aplauso", em sessão especial na Câmara de Vereadores. A Cia de Teatro Xã-Xã-Erê, pela produção dos espetáculos Memórias, Sonhos e Reflexões do Professor Haistengildo; Quando o......
2ª Feira do Livro foi realizada em Xaxim11/06 Para estimular a leitura e a viagem pelo mundo da imaginação, o Governo de Xaxim por meio da Secretaria Municipal de Educação e Cultura promoveu de 5 a 8 de junho a 2ª Feira do Livro nas dependências do Centro de......

Voltar para Cidades