Postado em 26 de Novembro às 09h27

Cidade livre da dengue

Município de Marema nunca registrou focos do aedes aegypti

  • Portal DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina -

Marema - Armadilhas comprovam: Marema segue na contramão da maioria dos municípios, sem nunca ter registrado focos e contaminações pelo mosquito da dengue. A informação é da Vigilância Sanitária, que monitora 716 domicílios e uma população de aproximadamente dois mil habitantes. As autoridades atribuem essa conquista à conscientização dos moradores e as eficazes ações de limpeza urbana, desenvolvidas pela Prefeitura. Para reforçar as orientações, uma mobilização está sendo organizada para o próximo dia 30, na praça municipal.

O clima quente e chuvoso é propício para a proliferação do mosquito aedes aegypti. Mesmo assim, a Secretária Municipal de Saúde, Jaquelini Moro, comemora o fato de Marema nunca ter registrado casos suspeitos de dengue, seja com contaminação local ou casos vindos de outros municípios. “Infelizmente, nosso clima é especial para a reprodução dos mosquitos. Por outro lado, temos uma população altamente conscientizada e preocupada. O resultado disso, é um território livre do mosquito e da doença,” afirma.
O Vigilante Sanitário Egídio Ceratto acompanha periodicamente oito armadilhas instaladas em diferentes pontos da cidade. O profissional explica que semanalmente os locais são monitorados e as larvas são encaminhadas para análise. “Equipes da Vigilância Sanitária e Epidemiológica, dão suporte na verificação dos possíveis criadouros nas casas. São vistoriadas calhas, caixas de água e demais locais que acumulam água. A população também é orientada com a ajuda de nove agentes comunitárias de saúde,” relata Egídio.

Conforme o Prefeito de Marema, Adilson Barella, a conquista por um território livre do aedes aegypti, é de toda a população que preza pela limpeza da cidade. “Regulamente a Prefeitura realiza ações para recolher entulhos. Fazemos a limpeza das áreas públicas e realizamos vistorias em imóveis e locais que podem se tornar possíveis criadouros do mosquito transmissor da Dengue. De qualquer forma, o mais importante, é a contribuição da população. As crianças aprendem nas escolas, as famílias são atentas e a sociedade colabora. Isso tudo contribui significativamente para esse resultado satisfatório”, aponta o Prefeito.

Hoje, “Marema é um território livre do mosquito da dengue, mas a preocupação com a doença existe,” reforça o Prefeito. “Apesar da nossa boa condição, não podemos cruzar os braços, agentes públicos e a comunidade, precisam seguir com os esforços para mantermos esse status.” A Secretária de Saúde, compara Marema à uma ilha. A gestora explica que todas as cidades próximas, possuem larvas do aedes aegypti e já registraram casos suspeitos.Categoricamente, ela diz: “Nossa condição de território livre da dengue, é momentânea. Se não mantivermos todos os cuidados, ainda neste verão, poderemos ter registros da doença ou do inseto transmissor. Na ação do próximo dia 30, vamos reforçar todos os alertas,” informa Jaquelini.

Veja também

Voltar para Cidades