Postado em 05 de Fevereiro às 10h55

Encontro entre Governo e setor produtivo catarinense reúne principais entidades do estado

A iniciativa reuniu lideranças do setor produtivo na Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (FACISC).

Florianópolis - Um encontro estratégico entre Governo e dirigentes de mais de 30 entidades empresariais, que juntas representam 90% do Produto Interno Bruto (PIB) catarinense, além de representantes do trade turístico de Santa Catarina, possibilitou o primeiro alinhamento de ações e fomento ao desenvolvimento econômico de Santa Catarina. A iniciativa reuniu lideranças do setor produtivo na manhã desta segunda-feira, 4, na Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (FACISC).

Coordenado pela secretaria de Estado Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo (SDS&T) e suas vinculadas (ARESC, IMA, IMETRO, SANTUR, FAPESC e JUCESC), o evento serviu ainda para lançar os cinco pilares da atual gestão, liderada pelo secretário, Lucas Esmeraldino.

A ideia é que a sustentabilidade e a inovação sejam premissas para: 1) a efetividade, a transparência e a celeridade no modelo de governança; 2) gestão orientada para resultados; 3) foco na otimização e dinamicidade dos processos; 4) a sinergia entre pessoas, competências e lugares; e 5) a potencialização do portfólio de programas, projetos, produtos e serviços.

Além disso, o secretário reforçou que a SDS pretende atrair R$ 14 bilhões, ao longo da gestão, para investimentos por meio de programas e projetos. Para os próximos 100 dias a proposta é focar em 258 ações que otimizem os resultados da secretaria e impactem de forma positiva na cadeia de desenvolvimento do Estado.

“Uma oportunidade de ouvir as demandas e necessidades de cada setor do nosso Estado, como também, apresentar nossas primeiras ações e planejamento estratégico para o setor produtivo de Santa Catarina. Foi o primeiro encontro de outros que virão do qual avalio de forma muito positiva, onde recebemos inúmeras contribuições que irão balizar nosso planejamento nos próximos 100 dias à frente da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável”, destaca Lucas Esmeraldino.

O evento buscou ainda abrir um canal de comunicação com o setor produtivo, para fomento das ações voltadas à geração de mais empregos, renda e oportunidades.

“Foi uma oportunidade de conhecer a gestão da SDS&T, juntamente com os presidentes e diretores das vinculadas que puderam de maneira objetiva e direta conversar com estes atores que constroem o futuro do desenvolvimento econômico de Santa Catarina. Tenho convicção de que este evento ficará marcado na história da SDS&T e do setor produtivo catarinense como um grande passo ao encontro do desenvolvimento”, destacou o secretário-adjunto da SDS&T, Amandio João da Silva Junior.

Para o presidente do Conselho Estadual de Turismo e CEO do Beto Carrero World, Rogério Siqueira, o evento permitiu que o governo mostrasse sua intenção de promover um trabalho colaborativo para o setor, além de desenvolver políticas de Estado para investimentos na cadeia produtiva da indústria, comércio e turismo. “SC precisa ampliar sua competitividade para atrair novos investimentos e nós, do trade turístico, estamos prontos para colaborar nesse sentido”.

O encontro contou com a presença dos representantes de todas as principais entidades e classes empresariais do Estado, elencadas a seguir: Acate, CREA, Corecon, Sindetur, Acafe/Unifebe, CDL, CRC, Abrasel, Fiesc, COFEM, CRA, ACIF, Convention & Visitors Bureau de Florianópolis, ACATS, Sebrae, OAB, Fhoresc, ABAV-SC, ABIH, Conselho Estadual de Turismo, Fundação Certi, Badesc, Adjori, Sindetur, Corecon, Fetrancesc, Fampesc, Faesc, Fecomércio, FCDL, o deputado estadual, Coronel Onir Mocellin e representante do deputado Ricardo Alba.

Entidades repercutem positivamente ao primeiro encontro para definir diretrizes
O primeiro diálogo entre governo e as entidades repercutiu positivamente entre o setor produtivo catarinense. O encontro foi a oportunidade de ouvir as demandas de cada setor e propor uma atuação conjunta em ações que fomentem o desenvolvimento econômico do Estado e, consequentemente, aumente a competitividade de Santa Catarina.

O evento que ocorreu no auditório da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (FACISC) e contou com mais de 150 participantes, dentro os quais representantes e presidentes de cerca de 30 entidades catarinenses, como também, gestores das vinculadas da SDS&T, colaboradores e deputados catarinenses.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), Mário Cezar Aguiar, destacou o papel da SDS&T frente ao Estado que tem uma indústria forte e uma economia significativa. “A SDS&T tem o papel de fomentar este desenvolvimento ainda mais e esta abertura de dialogo é fundamental para discutir questões essenciais como melhorar as condições para o setor produtivo, tornar o Estado mais eficiente e melhorar nossa infraestrutura, questões estas que impactam o Estado que poderão ser enfrentadas pelo Governo para melhorar a competitividade de Santa Catarina”, frisou Aguiar.

A importância do diálogo foi um dos pontos-chave para o presidente da Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (FACISC), Jonny Zulauf. “Termos a Secretaria de Estado e Desenvolvimento Econômico Sustentável conversando com o empresário é fundamental. Parabéns pela abertura por parte do Governo e também o agradecimento por estarmos aqui com todas as forças de representação econômica do Estado, na nossa casa nova”, destacou Zulauf.

Para o presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio/SC), Bruno Breithaupt, a aproximação com a SDS&T é muito oportuna. “Representamos 63% do PIB de Santa Catarina, e a reunião de hoje é salutar no sentido de nos colocarmos à disposição para ajudar e dialogar as possíveis demandas, que nós possamos realizar em conjunto, aquilo que é responsabilidade nossa e o que de responsabilidade de Santa Catarina”, disse. 

No setor de tecnologia, que representa 5% do PIB de Santa Catarina, a repercussão do encontro também impactou positivamente. “Estamos bastante otimistas pela postura do Governo em dialogar e chamar as entidades para conversar e co-construir o futuro do nosso Estado em conjunto. Isto nos deixa otimista que este trabalho irá dar bons frutos”, observou o presidente da Associação Catarinense de Tecnologia (ACATE), Daniel Leipnitz.

Na avaliação do presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL), Ivan Roberto Tauffer, muitos problemas que o Estado enfrenta podem ser resolvidos com um contato mais próximo com as entidades. “Temos muitas demandas no Estado e um simples olhar diferenciado por esta secretaria pode resolver todos os nossos problemas. É preciso olhar para as entidades, nós temos o conhecimento onde está o problema, e o Secretário (Lucas Esmeraldino) hoje, trouxe esta abertura para nós”, lembrou Tauffer.

O presidente da Federação das Associações de Micro e Pequenas Empresas e dos Empreendedores Individuais (FAMPESC), Alcides Andrade, concluiu como positiva a esta primeira iniciativa que serviu para pontuar alguns assuntos prioritários do setor produtivo. “Agora nas próximas semanas esperamos que a SDS, suas vinculadas e o Governo, possam seguir em frente com estas demandas”, avaliou.
 

Veja também

Limpeza nas margens da pista antecede início de obra de R$ 2 milhões em Passos Maia01/08 Funcionários da administração municipal de Passos Maia iniciaram nesta semana a limpeza do trecho da Avenida Padre João Botero que será revitalizado por um projeto de mais de R$ 2 milhões. O trabalho de retirada de vegetação das margens da pista é feito desde a garagem do município, ainda na SC-154, até a Praça 12 de Dezembro, em......
Marcada nova data para a Copa do Colono e Motorista em Marema01/08 O Governo de Marema, por meio da Secretaria de Agricultura, juntamente com o Conselho Agropecuário e Epagri, marcaram uma nova data para a realização da 13ª Copa do Colono e Motorista. O evento acontecerá na próxima......
Ex-Prefeito do Oeste sofre nova condenação por improbidade01/08 Utilizar-se de empresa de fachada para executar ilegalmente uma obra pública e, assim, receber quase R$ 2 milhões dos cofres do Município. Por este motivo o ex-Prefeito de Modelo Imílio Ávila, outras quatro pessoas e as duas......

Voltar para Cidades