Postado em 21 de Março às 14h07

Gaeco apreende provas e gabaritos de concurso público de Cordilheira Alta

O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) cumpriu um mandado de busca e apreensão na cidade de Cordilheira Alta/SC, no último domingo (17). Foram recolhidos cadernos de provas e gabaritos de um concurso realizado pela Câmara de Vereadores do município.

Cordilheira Alta - O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) cumpriu um mandado de busca e apreensão na cidade de Cordilheira Alta, no último domingo (17). Foram recolhidos cadernos de provas e gabaritos de um concurso realizado pela Câmara de Vereadores do município. A investigação está sob sigilo, segundo a 10ª PJ.

O promotor de justiça e coordenador do Gaeco, Alessandro Rodrigo Argenta, informou à reportagem do ClicRDC, que a ação foi deflagrada a partir do pedido da 10ª Promotoria de Justiça de Chapecó.

A Promotoria relatou que na última sexta-feira (15), recebeu uma “denúncia anônima informando que o concurso aberto pela Câmara de Vereadores de Cordilheira Alta, cuja aplicação da prova competia a uma empresa terceirizada, estaria direcionado”.

Ainda segundo a Promotoria, “a denúncia anônima trouxe elementos concretos de vinculação de candidatos com agentes vinculados diretamente com certame, razão pela qual foi requisitado mandados de busca e apreensão dos cadernos de provas e gabaritos”.

Logo após a aplicação da prova, que foi acompanhada por um promotor de justiça, o material foi lacrado e apreendido. “A apreensão desse material visa descartar uma das formas de fraude e direcionamento do certame, mas isso não é capaz de evitar ou identificar, por si só, eventuais fraudes”, informou a 10ª Promotoria de Justiça de Chapecó.

Desdobramentos

Os gabaritos ainda se encontram lacrados pelo GAECO e serão abertos no dia agendado para abertura dos envelopes, que deverá ocorrer na sexta-feira (29), na presença de agentes do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas, que farão a conferência e registro visual dos gabaritos, segundo a PJ.

A Promotoria destaca que, não há como afirmar que houve favorecimento ou qualquer irregularidade. “Trata-se de medida preventiva adotada pela Promotoria de Justiça, visando averiguar a idoneidade do concurso”, por isso o não serão divulgados nomes das pessoas suspeitas de serem favorecidas, “considerando a fase incipiente da investigação”.

Contraponto
Na quarta-feira (20), a reportagem do ClicRDC entrou em contato por telefone com a Câmara de Vereadores de Cordilheira Alta, a qual informou que a aplicação da prova compete a uma empresa terceirizada.

A reportagem também entrou em contato, ainda na quarta-feira, com o representante da empresa responsável pela aplicação da prova. Ele informou que vai se manifestar oficialmente nesta quinta-feira (21) .

 

(fonte: ClicRDC)

Veja também

Voltar para Cidades