Postado em 21 de Fevereiro às 10h24

Poder Judiciário alerta sobre venda e oferta de bebidas alcoólicas a menores

Chapecó - Fatos desagradáveis e recorrentes envolvendo adolescentes e bebidas alcoólicas em bares, casas de shows e festas motivaram o Poder Judiciário de Chapecó a convidar os proprietários dos estabelecimentos, sindicalizados ou não, a se engajarem de forma preventiva. Oficiais da Infância e Juventude se reuniram com representantes no Salão do Tribunal do Júri, do fórum de Chapecó.

Os presentes receberam cartazes e materiais informativos, além de uma cópia da Portaria número 02/2006 que regulamenta a entrada e permanência de crianças e adolescentes em locais e estabelecimentos destinados ao lazer.

Na ocasião, os participantes tiraram dúvidas e ressaltaram desafios rotineiros como o fato de pais oferecerem bebidas aos filhos menores, quando os acompanham nos estabelecimentos, e a realização de festas particulares principalmente em chácaras, o que dificulta a fiscalização.

A juíza da Vara da Infância e Juventude, Surami Juliana dos Santos Heerdt, alerta que os pais também podem ser punidos por permitirem a ingestão de álcool pelos filhos com menos de 18 anos. Aliás, qualquer pessoa que infringir a lei pode sofrer sanções penal e civil. “Em casos mais graves, os pais podem sofrer questionamento judicial sobre sua habilidade de exercer o poder familiar”, explica a magistrada.

O que diz a lei
O artigo 243 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) determina como crime “vender, fornecer, servir, ministrar ou entregar, ainda que gratuitamente, de qualquer forma, à criança ou ao adolescente, bebida alcoólica ou, sem justa causa, outros produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica (...). Pena - detenção de 2 (dois) a 4 (quatro) anos, e multa, se o fato não constitui crime mais grave. (Redação dada pela Lei nº 13.106, de 2015)”.


Carnaval
A chegada do Carnaval preocupa ainda mais pelo abuso de drogas e bebidas alcoólicas. A juíza ressalta que sob efeito de álcool ou drogas o jovem fica extremamente vulnerável e corre muitos riscos. “Os índices de dependência química entre os adolescentes são alarmantes e muitos ignoram que é o álcool a principal ‘porta de entrada’ para o consumo de outras drogas”, avalia.

Denúncias
A comissária da Infância e Juventude, da comarca de Chapecó, Paula Simioni, destaca que qualquer pessoa pode denunciar, inclusive de maneira anônima, o consumo de bebidas alcoólicas por menores. Basta entrar em contato com a Polícia Militar (190) ou pelo Disque 100. “Temos material informativo para quaisquer pessoas e estamos à disposição para sanar dúvidas dos pais e proprietários de casas noturnas”, finaliza a comissária.

Veja também

Prefeito de Passos Maia propõe parceria entre município e Incra para titularização de lotes05/06 O prefeito Leomar Listoni propôs uma parceria entre o município de Passos Maia e o Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) para o trabalho de regularização dos títulos das propriedades rurais. O assunto foi tratado durante uma visita feita ao superintendente do Incra em Santa Catarina, Nilton Tadeu Garcia, na última semana, em viagem a......

Voltar para Cidades