Postado em 03 de Setembro de 2019 às 09h44

Raiva pode ter causado morte de cavalo em Siderópolis

PORTAL DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina Foto: Siderópolis Noticias Um equino (cavalo) morreu na localidade de Jordão Alto, em Siderópolis. De acordo com o Departamento Regional da...

Foto: Siderópolis Noticias

Um equino (cavalo) morreu na localidade de Jordão Alto, em Siderópolis. De acordo com o Departamento Regional da Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina – Cidasc, o animal apresentou sintomas de raiva e marcas de morcego, porém, só é possível a confirmação da doença após o óbito, coletagem e análise do material, que segundo o Cidasc, sairá daqui aproximadamente 15 dias.

O Cidasc está orientando produtores rurais na região que façam a imunização dos animais contra a raiva. Outros cavalos já apareceram com marcas de morcego e sintomas de raiva na localidade de Jordão Alto.
“A cada três a cinco anos há casos de surtos de raiva de herbívoros (doença transmitida pelo morcego aos animais) na região. É importante vacinar o animal, porque vai impedir que a doença continue o ciclo e ocorra com essa frequência. A orientação é sempre vacinar contra a raiva. Não é uma vacina obrigatória, mas recomendamos que vacine. Ocorre que quando recebemos o resultado, aí se torna obrigatório em uma área de 12 quilômetros da área do foco”, disse a médica veterinária do Cidasc, Carla Zoche.

Saiba como se prevenir da Raiva
A raiva é uma doença transmissível que atinge mamíferos como cães, gatos, bois, cavalos, macacos, morcegos e também o homem, quando a saliva do animal infectado entra em contato com a pele ou mucosa por meio de mordida, arranhão ou lambedura do animal. O vírus ataca o sistema nervoso central, levando à morte após pouco tempo de evolução. A raiva não tem cura estabelecida (há apenas três casos de cura conhecidos no mundo, um deles no Brasil) e a única forma de prevenção é por meio da vacina.

O animal doente elimina o vírus da raiva pela saliva, por isso não devemos colocar a mão na boca de cavalos ou bovinos que estejam com dificuldade de locomoção e/ou salivação intensa. Usualmente, a doença é transmitida através da mordida do animal infectado, mas o simples contato entre saliva e feridas abertas, mucosas e arranhões também propaga o vírus.


Para ajudar no controle da raiva
– Vacine seu rebanho contra a raiva;
– Informe ao escritório da Cidasc mais próximo sempre que seus animais ficarem doentes e apresentarem dificuldade para caminhar, se alimentar, e/ou agressividade
– Caso seus animais tenham marcas de mordedura causada pelo morcego hematófago, comunique a Cidasc, mesmo que não estejam doentes;
– Avise ao médico veterinário da Cidasc se souber de algum local que possa abrigar morcegos hematófagos, tais como, cavernas; grutas; ocos de árvore; túneis; bueiros; passagem sob rodovias, cisternas e poços; casas e construções abandonadas.
 

Veja também

Marema comemora Dia do Servidor Público Municipal29/10/19 Nesta segunda-feira (28), foi comemorado o Dia do Servidor Público Municipal. Para festejar a data, o Prefeito Adilson Barella, reuniu todos os servidores públicos. O evento ocorreu na sede do Grupo de Cavaleiros Herança do Pai. No local, os integrantes do grupo serviram almoço com costelão. Durante pronunciamento, o Prefeito agradeceu ao comprometimento, apoio e......
Prefeitura de Xanxerê inicia nova etapa de regularização fundiária24/07/19 Mais de 230 registros de propriedades definitivos (matrículas) foram entregues nos últimos dois anos aos moradores de áreas irregulares através do Programa Lar Legal, realizado pelo Poder Judiciário, Ministério......

Voltar para Cidades