Santa Catarina dá início à colheita do arroz com lançamento de novo cultivar

Segundo maior produtor nacional de arroz, Santa Catarina abre a colheita do grão com o lançamento de novo cultivar. É o SCS 125 da Epagri, que foi apresentado aos produtores nesta sexta-feira, 19, durante o Dia de Campo da Cooperativa Regional Agropecuária Vale do Itajaí (Cravil), em Rio do Sul. O evento contou com a presença do secretário de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural, Altair Silva, e fez parte também das comemorações de 50 anos da Cravil.

"A abertura da colheita do arroz representa um marco para o agronegócio catarinense, um dia a ser celebrado. É o resultado de um trabalho coletivo que envolve produtores rurais, cooperativas, Governo do Estado e nossos técnicos e pesquisadores da Epagri. Comemoramos ainda o lançamento de um novo cultivar de arroz irrigado com características de alto índice de produtividade, que foram observadas já nas primeiras colheitas. Isso demonstra que o setor produtivo vem inovando, buscando novas tecnologias e aumentando cada vez mais a qualidade e produtividade em nossas lavouras", destaca o secretário Altair Silva.



O SCS 125 é 33º cultivar lançado em Santa Catarina e foi desenvolvido pela Estação Experimental da Epagri em Itajaí (EEI) - referência nacional em pesquisa pública com o grão. Entre as principais características deste arroz estão o alto potencial produtivo, boa qualidade de grãos, ciclo longo (tardio), resistência ao acamamento e bom nível de sanidade geral.

Segundo a presidente da Epagri, Edilene Steinwandter, o lançamento é mais uma prova da excelência catarinense nas pesquisas voltadas à cadeia produtiva de arroz. “Tanto esse, quanto nossos outros cultivares do grão, foram desenvolvidos pensando nas necessidades dos rizicultores catarinenses e buscam oferecer mais produtividade e sustentabilidade nas lavouras. O resultado desse trabalho se vê no campo, com Santa Catarina se firmando cada vez mais como um dos maiores produtores de arroz do Brasil”, declara.

Sanidade como diferencial produtivo

O engenheiro agrônomo da Agrogiusti, Edivani E. Coelho, já começou a plantar o SCS125 nos campos da empresa produtora de sementes de arroz e os resultados são promissores. A sanidade é um dos destaques.

De acordo com o engenheiro agrônomo, mesmo com condições climáticas favoráveis ao surgimento de doenças, com dias nublados e chuvosos, o material manteve a qualidade em relação a outros cultivares produzidos na empresa “A avaliação do desempenho do cultivar até o momento é muito boa, estamos muito satisfeitos, a expectativa é boa com relação à produtividade, sanidade e qualidade da semente”, relata.

Safra de arroz em Santa Catarina

Santa Catarina espera colher 1,18 milhão de toneladas de arroz nesta safra em 7,9 mil hectares plantados. A produção está concentrada na região de Araranguá, principalmente nos municípios de Turvo e Meleiro.

O arroz se tornou ainda um importante item na pauta de exportações catarinense. Em 2020, os embarques aumentaram mais de 600% em relação ao ano anterior, totalizando US$20,4 milhões em faturamento e 48,2 mil toneladas vendidas. Os principais compradores do arroz produzido no estado foram África do Sul, Guatemala e Senegal.

PORTAL DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina Santa Catarina dá início à colheita do arroz com lançamento de novo cultivar Segundo maior produtor nacional de arroz, Santa Catarina abre a colheita do grão com o...
Postado em 14 de Maio de 2019 às 08h31

Rodovias estaduais: Municípios e Estado avançam na criação de consórcios

PORTAL DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina A Federação Catarinense de Municípios (FECAM) e as 21 Associações de Municípios iniciaram as tratativas para a...

A Federação Catarinense de Municípios (FECAM) e as 21 Associações de Municípios iniciaram as tratativas para a utilização de consórcios intermunicipais para atender a parceria proposta pelo Governo do Estado de Santa Catarina, após a apresentação do Projeto Recuperar, para melhoria das rodovias estaduais. O presidente da FECAM, Joares Ponticelli, junto com os prefeitos, presidentes das Associações, participaram da apresentação e aprovaram o modelo inicial de trabalho conjunto apresentado pelo governador Carlos Moisés, pelo secretário da Casa Civil, Douglas Borba e secretário de Infraestrutura, Carlos Hassler, na última quinta-feira (9/5), na sede da Central dos Municípios, na capital.

Foi o terceiro encontro entre os prefeitos com o governador e seu staff, para articular a participação das Associações no processo de gestão de demandas regionais, após o anúncio do fechamento das Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs).

O Projeto Recuperar atenderá a recuperação e manutenção das rodovias estaduais catarinenses com objetivo de repassar, via Fundo Estadual, R$ 10 milhões por mês do Governo do Estado aos consórcios intermunicipais que, poderão atuar devidamente regularizados por meio de termos de cooperação, e serão os gestores no trabalho de recuperação asfáltica (tapa buraco), roçadas e limpeza, drenagem, pintura e sinalização.

Em 2019, especificamente para atender a demanda do Projeto, serão aplicados R$ 74 milhões. Nos anos seguintes (2020, 2021 e 2022) o valor será de R$ 120 milhões anuais. Segundo o governador Carlos Moisés, os recursos anunciados representam mais que o dobro do aportado em 2018, quando, segundo ele, foram destinados R$ 53 milhões na atenção às rodovias.

COMPETÊNCIAS

O governador Carlos Moisés disse que pretende iniciar em junho as primeiras ações de manutenção nas rodovias. Para isso, FECAM, Associações de Municípios e Governo do Estado agilizam suas demandas. O Estado fica responsável pelos recursos e a formalização dos termos de referência para credenciamento de serviços de usinagem, fiscalização de serviços pela equipe de engenheiros, fornecimento de insumos asfálticos e consultoria técnica aos consórcios e municípios.

À FECAM caberá a articulação, organização e adequação dos consórcios públicos de infraestrutura, além de apoio técnico para a estruturação de novos. “A tendência é que haja um consórcio identificado por Associação ou território regional, mas é possível a união de um ou mais consórcios por Associação. Vamos avaliar caso a caso”, destacou Ponticelli. Segundo ele, hoje existem cerca de seis consórcios na área de infraestrutura ativos no Estado, o que representa maior agilidade para iniciar os termos de parceria.

Aos municípios competirá o fornecimento de equipes para trabalhos de manutenção e conservação das rodovias estaduais, fornecimento de horas/máquina e de serviços de mão-de-obra para rodovias não pavimentadas com o ressarcimento via consórcios.

SITUAÇÃO DAS RODOVIAS

Levantamento da FECAM junto as 21 Associações de Municípios apresentado em abril deste ano apontou que cerca de 78% das rodovias estaduais estão danificadas ou em péssimo estado de conservação. Os maiores problemas apontados referem-se a roçada, sinalização, buracos, limpeza, drenagem e pintura. Santa Catarina tem 6.280 quilômetros de rodovias estaduais (77,72% são pavimentadas e 20,92% não pavimentadas).

CONSÓRCIOS

A parceria entre FECAM, Associações de Municípios e Governo de Santa Catarina com o Projeto Recuperar permitirá as atividades de manutenção das rodovias estaduais via consórcios públicos nos quais os municípios já estão integrados e que tenham finalidade compatível com a prestação de serviços de infraestrutura. O modelo de consórcio, destaca Ponticelli, atua em ações conjuntas, incrementando a qualidade dos serviços públicos prestados à população. “É uma forma de garantir os serviços, diminuir custos e repensar modelos multifinalitários que podem fazer a diferença em outras áreas, além de infraestrutura”, disse.

Carlos Moisés destacou que, com base em levantamento da Secretaria de Infraestrutura, “os municípios integrados em consórcio ou com usina própria de asfalto acabam reduzindo em até 50% do valor do quilômetro de asfalto. “Acreditamos na redução de custos e na melhoria significativa dos serviços”, disse.

CENTRAL DE MUNICÍPIOS

Anunciada em 15 de janeiro deste ano pelo Governo do Estado, a Central de Municípios Catarinenses tem o propósito de se tornar a casa dos prefeitos e prefeitas na capital do Estado para atender as demandas e necessidades regionais. As reuniões acontecem mensalmente na sede da Central, na Casa Civil, com a presença da diretoria executiva da FECAM e dos presidentes e secretários executivos das 21 Associações de Municípios com o governador Carlos Moisés, o secretário Douglas Borba e secretários de áreas pertinentes à ocasião.

As duas primeiras reuniões trataram de articular como as Associações passariam a contribuir representando as regiões do Estado, após o anúncio da desativação das Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs), que não existem fisicamente desde maio. A terceira reunião, no dia 9/5, iniciou a fase de acertos finais para que as Associações de Municípios recebam de dois a três funcionários do Governo Estadual em suas estruturas sede e se inicie o primeiro projeto emergencial, de manutenção das rodovias, em novo formato.

 

Veja também

Piscicultura é aliada ao cultivo de plantas para alimentar outros animais20/05/19 Produtores de Passos Maia e outros municípios da região assistiram a uma palestra e participaram de uma visita técnica sobre a produção de organismos na água, especialmente peixes, no último sábado, dia 18. O zootecnista e especialista em administração rural e qualidade nas organizações, Manuel dos Santos Pires Braz Filho, falou......

Voltar para Cidades