Postado em 08 de Março às 16h36

A Era dos desumanos

A morte, seja ela de quem for, sempre é um momento de tristeza e comoção. Até ontem, quem não tinha nada haver com o ocorrido não se intrometia e, hoje, o tal “bico calado” nunca foi tão necessário. 

A morte do neto do ex-presidente Lula virou um seriado de péssimo mal gosto de internautas que não conseguem conter seus pensamentos, medir suas palavras, pensar em suas atitudes.

Hoje parece normal tecer críticas sobre tudo e todos, não se importando se alguém está sofrendo ou se o comentário vai ferir alguém. O que vimos com a morte do menino de sete anos, acometido de meningite, foi o ponto mais alto da crueldade humana. 

Pouca diferença fez o menino ter deixado esse mundo, mas sim Lula ter saída da cadeia para acompanhar o velório do neto. Não faltaram sermões do tipo: quantas crianças morrem por dia? Quantos avós não perdem os netos por falta de atendimento? Quantos avós podem acompanhar o enterro de seus entes?

Gente!! Tudo tem um limite, nas circunstâncias que estamos, acredito que até o pensamento deve ter um limite, ou melhor, deve ser contido, guardado para si. Nos dias atuais, parece que todo mundo tem razão de tudo e se sente livre para comentar, opinar sobre tudo. 

Se é certo ou não o avô deixar a cadeia para acompanhar os atos fúnebres vai fazer que diferença na sua vida? De que adianta encher o mundo de pensamentos de raiva e ódio? Vai mudar o que se cada um não repensar nas próprias atitudes?

O mundo está coberto por injustiças, maldades, gente sendo morta, estuprada, roubada, violada todos os dias, mas se as pessoas começarem a destilar mais ódio, rancor e ira com fatos que não merecem este esforço, jamais a humanidade vai caminhar para frente.

É nessas horas que fico mais próxima de compreender porque há milhares de anos pregaram um homem na cruz. Será que não estamos repetindo isso todos os dias com nossos semelhantes? Longe estar defendendo um ex-presidente, até porque o presidente atual também foi vítima da crueldade do ser humano, quando muitos torceram para que a facada que Jair Bolsonaro levou, o levasse para outro lugar que não fosse a vitória nas urnas.

É momento de repensarmos.
 

Veja também

Devolvendo na mesma moeda30/01 Tem um ditado que diz: “bala trocada não dói”! Essa é a máxima que estão usando para tentar entender o convite do prefeito Avelino Menegolla ao ex-prefeito Ademir Gasparini (Miri) para assumir a Secretaria de Obras. Quando prefeito, Miri nomeou Menegolla para cuidar dos serviços da garagem, onde a grande reclamação era as péssimas......
Da Redação: AIDS parece não preocupar mais a população07/12/18 As campanhas contra o HIV são cada vez maiores, valor inversamente proporcional ao quanto as pessoas, principalmente os jovens, se preocupam com a doença. ...

Voltar para Colunistas