Postado em 23 de Novembro às 10h49

Da Redação: Interpretação faz parte da vida

Da Redação (5)

Não temos a informação de que isso ainda aconteça, mas há nem tanto tempo atrás, era comum ver no cabeçalho das provas escolares a frase: “Interpretação faz parte da prova”. Dito isso, o professor que aplicava a prova já deixava claro que não responderia às dúvidas com relação ao enunciado das questões, afinal, a interpretação do texto fazia parte da avaliação. As famosas pegadinhas já fizeram muita gente assinalar a alternativa errada, mas não adiantava reclamar com o professor por que, de novo, ‘a interpretação fazia parte da prova’. 

Mas o tempo passa, vem a internet e as redes sociais. Lá diferentemente da escola, onde a falta de interpretação faria apenas o aluno ‘se ferrar’, quem não interpreta contribui para a desinformação coletiva. Uma pessoa não entende o que diz o texto, mas isso não a impede de comentar. Uma segunda pessoa se apresenta, ignora o texto, e responde ao comentário gerado por uma interpretação errada, que ganha status de ‘lacração’ devido à enorme quantidade de curtidas que propagam a desinformação. 

Não acho que as escolas estivessem erradas, mas talvez seja necessário daqui pra frente mudar o cabeçalho das provas para: “Interpretação faz parte da vida”. 

Viatura a 180km/h
Uma postagem chamou a atenção no fim de semana, quando um site informou que uma viatura policial atingiu 180 Km/h durante uma perseguição a um veículo VW/Gol que começou em Xaxim, e terminou com a prisão dos agentes em Nova Itaberaba. 

Falta de interpretação
A publicação do site ‘Click Xaxim’, inclusive com o vídeo do início da perseguição flagrada pelas câmeras da PM, gerou mais de 30 comentários e 20 compartilhamentos, sendo a grande maioria demonstrando a falta de interpretação do leitor: “Como pode um ‘gol quadrado’ chegar a 180km/h?”, “180km/h dentro da cidade, duvido?!”. 

A perseguição
O trecho da perseguição teve ao todo quase 40 quilômetros de distância. O condutor do veículo em fuga fez diversas ultrapassagens perigosas na BR-282, inclusive pelo acostamento, coisa que a PM não fez para não colocar a vida de outras pessoas em risco. Em nenhum momento o texto afirma que o veículo em fuga atingiu tal velocidade, mas conseguiu se distanciar da PM através de ultrapassagens perigosas. A polícia, quando teve a oportunidade de se aproximar pisou fundo para não perder o veículo de vista. É difícil entender? 

Geração ‘Só a cabecinha’
O termo foi utilizado pela revista Galileu, da Editora Abril para designar a ‘geração’ que não se aprofunda em nada. Àquelas que leem o título e acham que entenderam tudo. Segundo reportagem publicada em 2015, 25% dos vídeos do youtube e músicas de aplicativos são passadas após os primeiros 5 (CINCO) segundos. "O mais chocante desses dois dados é que o uso destes ‘apps’ em geral, está focado no lazer e entretenimento. Ou seja, se a gente não tem paciência para ficar mais de 90 segundos focado em uma atividade que nos dá prazer, o que acontece com o resto das coisas?”

Veja também

Trabalho em equipe05/12 Não bastasse o gasto com as férias dos servidores e três grandes obras em andamento, chegou mais uma conta para pagar: o reajuste nos preços de materiais de obras iniciadas ainda em 2010. Recurso que não estava previsto e......

Voltar para Colunistas