Postado em 03 de Maio às 16h08

Filhos investirão mais no presente de Dia das Mães em 2019

PORTAL DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina Adjetivos não faltam quando falamos sobre mães. Dedicadas, amorosas, cuidadosas, exemplos de mulher. Elas, que sempre se preocupam com a família e a casa,...

Adjetivos não faltam quando falamos sobre mães. Dedicadas, amorosas, cuidadosas, exemplos de mulher. Elas, que sempre se preocupam com a família e a casa, mas muitas vezes esquecem de si mesmas, merecem um dia especial. A data 12 de maio é o dia delas, momento de demonstrar o quão importante elas são. Presentear uma mãe não é tarefa fácil, por isso o comércio de Chapecó se preparou para a data com produtos e serviços para surpreendê-las. Pensando em oportunizar horários diferenciados de compras, a Câmara de Dirigentes Lojistas de Chapecó (CDL) promove neste sábado (04) e no próximo (11) o “Dia D”, com horário livre de atendimento no comércio.

O presidente da CDL Chapecó Clóvis Afonso Spohr destaca que o Dia das Mães é a segunda maior data em movimentação no comércio durante o ano e a principal data no primeiro semestre. “Muitas são as opções na hora de presentear e as expectativas do setor estão otimistas para a data. Em Chapecó acreditamos que o crescimento possa ser entre 5% e 10% em relação ao ano passado”, observa.

As decorações do comércio para o dia das mães em Chapecó mostram o quanto a data é esperada, tanto pelos consumidores como por lojistas. Pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), mostra que, considerando a média total de gastos, o brasileiro deve desembolsar R$ 198,79, cifra superior à média constatada no ano passado, que era de R$ 152,98, o que representa uma alta de 24%, já descontada a inflação acumulada no período.

Neste ano, os produtos campeões de venda devem ser as roupas, calçados e acessórios (42%), perfumes (36%), cosméticos (23%) e chocolates (19%). Em relação a quantidade de produtos comprados, em média cada cliente deve adquirir entre um e dois presentes e apenas 37% dos entrevistados consultarão a presenteada para descobrir o que ela deseja ganhar. Sobre o preço médio dos presentes, a pesquisa revela que em cada dez compradores, quatro (38%) devem gastar na faixa de R$ 75 a R$ 150 com os presentes.

Para Laura Helen Dalla Zen dos Santos, sua mãe é exemplo de motivação. O presente que escolheu foi um perfume que no frasco traz todo o brilho que ela representa. “O dia das mães é uma data que sempre comemoro com ela. É uma forma de demonstrar amor, carinho e respeito. Ela é minha inspiração e tudo o que eu sou hoje devo a ela”, afirma.

A consultora de vendas Daniela Wolmann destaca que esta é a segunda data que mais movimenta o comércio. “Na semana que antecede o Dia das Mães é visível o aumento na procura por presentes. Consequentemente, a expectativa é de crescimento nas vendas no setor durante esses dias”, relata.

OTIMISMO

Mesmo que a economia não mostre recuperação e o desemprego siga elevado, a pesquisa deste ano revelou um aumento de sete pontos percentuais na parcela de consumidores que pretendem desembolsar uma quantia maior na data: em 2018, apenas 19% dos consumidores acreditavam que iriam gastar mais com os presentes e agora, em 2019, o dado passou para 26% dos entrevistados. Outros 41% devem gastar a mesma quantia que em 2018, ao passo que 24% planejam gastar menos.

Veja também

Saque do abono salarial do PIS 2018/2019 vai até sexta-feira26/06 Os trabalhadores cadastrados no Programa de Integração Social (PIS) têm até sexta-feira (28) para sacar o Abono Salarial do calendário 2018/2019. Os valores vão de R$ 84 até R$ 998, de acordo com a quantidade de dias trabalhados durante o ano-base 2017. De acordo com a Caixa, os benefícios, que totalizam R$ 16,9 bilhões, foram liberados de forma......
Faesc apoia medida da ALESC na questão dos incentivos fiscais07/03 Em reunião realizada nesta semana, o presidente da ALESC Júlio Garcia e os líderes dos Partidos com assento na Casa decidiram por unanimidade suspender até dia 31 de julho de 2019 os efeitos dos Decretos nº 1.866 e 1.867,......

Voltar para Economia