Postado em 18 de Abril às 10h52

Para deputado do PSL catarinense, impacto ambiental dos canudos plásticos é insignificante

Portal DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina FOTO: Fábio Queiroz/Agência AL O projeto de lei que impõe proibição e multa aos comerciantes que utilizarem canudos de plástico, de...

FOTO: Fábio Queiroz/Agência AL

O projeto de lei que impõe proibição e multa aos comerciantes que utilizarem canudos de plástico, de autoria do deputado João Amin (PP), foi duramente criticado pelos deputados Jessé Lopes (PSL) e Bruno Souza (PSB).

Para os deputados, a ineficiência da lei se soma à insignificância do impacto ambiental dos canudinhos quando comparado a outros produtos, como o copinho de plástico, que naturalmente substituirá o canudo. Além disso, uma lei neste sentido apenas impactaria os pequenos comerciantes com mais uma lei para o que poderia ser feito mediante campanhas de conscientização.

Jessé Lopes questionoua utilidade da lei e condena a interferência do Estado em ações que terão impacto quase nulo ao meio ambiente, mas terá grande peso sobre comerciantes. “Sabemos o quão prejudicial é o plástico para o meio ambiente. Por isso, a conscientização é muito importante.
Mas luto para que o Estado pare de interferir na livre iniciativa de mercado. Meu voto foi contra o projeto de lei.”

Os críticos apontaram o resultado de lei semelhante no Rio de Janeiro, onde houve uma explosão no número de copinhos plásticos.

Impacto insignificante não justifica sacrifício de dinheiro público
Segundo reportagem publicada no site do Instituto Millenium, um estudo de 2015, publicado na revista americana Science, apresentou um ranking das 20 maiores fontes de resíduos plásticos nos oceanos. O estudo descobriu que quase 28% provém da China, sendo seguido por Indonésia, Filipinas, Vietnã e Sri Lanka, que juntos contribuem com 27% do plástico nos mares. O Brasilé responsável por apenas 1,5%. Dessa porcentagem, a representação dos canudos plásticos é praticamente microscópica.

A reportagem destaca trechos do estudo:

“Os resultados, publicados em novembro passado na “Environmental Science & Technology”, mostram que os rios despejam coletivamente de 0,47 milhão a 2,75 milhões de toneladas métricas de plástico nos mares a cada ano, dependendo dos dados usados nos modelos. Os
10 rios que carregam 93% desse lixo são o delta do Yangtze, Amarelo, Hai, Pérola, Amur, Mekong, Indus e Ganges, na Ásia, além do Níger e do Nilo, na África. Somente o Yangtze despeja cerca de 1,5 milhão de toneladas de resíduos plásticos no Mar Amarelo."

O autor do texto do Instituto Millenium, João Luiz Mauad, faz as contas da importância do assunto: “Os cientistas australianos Denise Hardesty e Chris Wilcox estimaram que pode haver até 8,3 bilhões de canudinhos de plástico nas costas do mundo. Talvez isso pareça muito, mas soma apenas cerca de 2.000 das quase 9 milhões de toneladas de resíduos plásticos que entram no oceano a cada ano. Façam as contas: todos os canudos de plástico do mundo representam, no máximo, apenas 0,02% dos resíduos de plástico levados para o mar. E desse montante insignificante, uma ínfima fração de 1,5%, vem do Brasil.

 

Fonte: Agência Alesc

Veja também

Ponte Serrada inicia entrega de carnês de IPTU 19/03 Carnês estarão sendo entregues no endereço de cada contribuinte a partir do dia 22, ou emitido no site www.ponteserrada.sc.gov.br, no Portal do Cidadão. ...

Voltar para Economia