Postado em 29 de Novembro às 16h00

IGP espera transferência de profissional para “desafogar” emissão de identidades

POR: CRISTIANE ALINE

Xanxerê – A falta de profissional para o Instituto Geral de Pericias de Xanxerê é algo recorrente, o funcionamento, segundo a perita criminal e coordenadora do núcleo do IGP de Xanxerê, Silvana Ogliari Schurhaus, sempre foi com o mínimo de profissionais o que dificulta algumas ações, entre elas a expedição do documento de identidade, realizado pelo IGP.


Uma das preocupações do órgão, que tem três estagiários e uma auxiliar criminalística, é que com a saída da auxiliar que passou em um concurso, o serviço de identificação fique prejudicado, por isso Silvana realizou um pedido junto a Agência de Desenvolvimento Regional -ADR Xanxerê e Governo do Estado para que uma das profissionais lotadas na Agência passe para o IGP.


Segundo o secretário da ADR Xanxerê, Ideraldo Sorgatto, o pedido de decência da profissional foi oficializado e deve ocorrer o mais breve possível.

O setor de identificação atende os 14 municípios da AMAI, que vem a Xanxerê para finalizar o processo da identificação, eles representam do total de emissões realizadas até outubro deste ano, 60% dos 10.350 documentos de identificação emitidos no período. De Xanxerê o número chega a quatro mil.


Para atender a demanda de público, Silvana comenta que gostariam de ampliar o horário, que hoje é do meio dia às 18horas, porém a falta de profissional inviabiliza a proposta.


“Queríamos ampliar o horário, pelo menos até às 19h ou então o dia todo para facilitar para a população, mas com a falta de profissionais não dá. Porque como a responsável pelo setor, também tem escala de plantão com os peritos, isso gera banco de horas que é retirado em folga, mas quando uma folga, sobrecarrega outra”, pontua.


A transferência da profissional é a esperança do Instituto, já que não há previsão para novos concursos e acordos de cooperação, segundo Silvana, já foram discutidos com o município e Estado, porém não foram atendidos.


“Já faz anos que estamos tentando um novo profissional, já tentamos convênio com município, estado e não tivemos sucesso até agora, a esperança é que a possibilidade de vinda da profissional da ADR se concretize”, finaliza.

FOTO: CRISTIANE ALINE

Veja também

Voltar para Geral