Postado em 24 de Abril às 13h06

Mais da metade dos passageiros de ônibus não usam cinto de segurança

Portal DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina Foto Ilustrativa/Reprodução Internet Levantamento feito pelo projeto “Passageiro consciente viaja de cinto!”, da Agência Nacional de...

Foto Ilustrativa/Reprodução Internet

Levantamento feito pelo projeto “Passageiro consciente viaja de cinto!”, da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), constatou que apenas quatro em cada dez passageiros de ônibus de viagem municipal estavam usando o cinto e segurança. Os dados são preliminares. O levantamento foi feito nas cidades paranaenses de Ponta Grossa, Curitiba, Maringá, Londrina e Cascavel, levando informações a cerca de 6,7 mil passageiros.

Hoje (24), a iniciativa chegou ao estado de São Paulo, no município de Taubaté. O foco do projeto é conscientizar os passageiros de ônibus para a necessidade do uso do cinto de segurança. As orientações são transmitidas também aos motoristas e funcionários das empresas, para que multipliquem as informações.

Temporal causa danos na cidade do Rio de Janeiro. Na avenida Niemeyer, que liga os bairros do Leblon e São Conrado, na zona sul, deslizamento atingiu um ônibus, que acabou tombando sobre a ciclovia na encosta da pista.
Uso do cinto de segurança diminui a gravidade dos acidentes - Arquivo/Agência Brasil
As equipes da ANTT aproveitam ainda para fiscalizar os veículos em relação aos itens de segurança, como saídas de emergência, extintor de incêndio, pneus e faróis.

Acidentes
O responsável pelo projeto, Alan Ianke, ressaltou que o uso do cinto de segurança pode diminuir muito a gravidade dos acidentes. “O ônibus tomba, as janelas da saída de emergência acabam se abrindo, e as pessoas são arremessadas para fora do ônibus. E muitas vezes o ônibus tomba por cima da pessoa”, explicou.

Ianke alertou que o passageiro que não usa o cinto pode colocar em risco a integridade de outras pessoas. “Em acidente menos graves, as pessoas que estão sem o cinto são arremessadas para cima e para baixo. Ou pior, contra outros passageiros”, destacou. 
Depois de São Paulo, o projeto pretende levar as ações para o Mato Grosso do Sul.

Fonte: Agência Brasil

Veja também

Adilson Barella, presidente da AMAI destaca ações de 201819/12/18 Por: CRISTIANE ALINE Xanxerê – A AMAI completou neste ano seus 40 anos de fundação e nesta quarta-feira o então presidente e prefeito de Marema, Adilson Barella apontou as ações que se destacaram em......

Voltar para Geral