Postado em 11 de Janeiro às 17h05

Vigilância Epidemiológica de Passos Maia alerta que donos de terrenos com criadouros do mosquito da dengue podem ser multados

Em vigor desde 2010, legislação estadual impõe multa de R$ 500, com valor dobrado em caso de reincidência.

Passos Maia - A Vigilância Epidemiológica de Passos Maia realiza um trabalho de fiscalização para evitar criadouros do mosquito da dengue em todo o município. Apesar de a responsabilidade pelo cuidado dos terrenos e imóveis ser de cada proprietário, o órgão está atento às negligências.

Vigorando desde 2010, uma lei estadual impõe que proprietários ou locatários dos imóveis residenciais e comerciais, públicos e privados, adotem medidas para evitar a existência de criadouros do Aedes aegypti e Aedes albopictus, mosquitos transmissores da dengue e outras doenças.

Dianalize Habech, da Vigilância Epidemiológica de Passos Maia, informa que primeiro o dono do imóvel que está em desacordo recebe uma advertência para se adequar. Caso a determinação não seja atendida, uma multa no valor de R$ 500 é aplicada, com o valor dobrado se houve reincidência e até o fechamento do estabelecimento comercial.

Ela alerta que não é apenas o acúmulo de água em recipientes que podem servir de criadouros para os mosquitos. Segundo a agente epidemiológica, o transmissor pode se reproduzir até em troncos de árvores e flores, como a bromélia. Para evitá-los, a orientação é colocar uma gota de água sanitária nos locais que podem se tornar criadouros.

“Nós ainda estamos isentos do mosquito da dengue, porque todos os municípios que fazem divisa estão infestados. Mas é realmente por causa da fiscalização que está sendo feita. A gente também precisa ter bastante cuidado com os locais de água para os animais. Não é só trocar a água todo dia. Pelo menos uma vez por semana, você tem que fazer a limpeza desses recipientes”, alerta Dianalize.

A agente também aponta que qualquer denúncia sobre a negligência de vizinhos, incluindo terrenos baldios descuidados pelos proprietários, deve ser levada ao conhecimento da Vigilância Epidemiológica de Passos Maia, que mantém sigilo absoluto. O órgão está instalado no Posto de Saúde Carmelina Tirelli Canceli.

Veja também

Voltar para Geral