Vereadores derrubam veto do prefeito e mantém aumento salarial

Prefeito Duda Coppini afirmou estar decepcionado com a decisão da Câmara de manter salários maiores para vereadores, prefeito, vice e secretários em 2017

Por Raphael Spiller 02/08/2016 - 09:28 hs
Foto: Arquivo
Vereadores derrubam veto do prefeito e mantém aumento salarial
Prefeito Duda Coppini lamentou a decisão do legislativo

O prefeito Eduardo Coppini (Duda) lamentou a derrubada do veto aos projetos de aumento salarial a vereadores, prefeito, vice-prefeito e secretários a partir de 2017 em Ponte Serrada. Depois de vetados pelo Executivo no final de junho, o Legislativo derrubou os vetos em uma sessão na noite desta segunda-feira, dia 1º.

“Decepcionado” foi o que disse Duda para expressar o sentimento após a decisão dos vereadores, que por cinco votos a quatro derrubaram o veto ao projeto de aumento dos salários do prefeito, vice e secretários, e por seis votos a três derrubaram o veto ao projeto de aumento salarial dos vereadores.

“Fiquei decepcionado com a derrubada do veto. Havia amparo legal para que a Câmara mantivesse o veto e aplicasse o salário praticado atualmente”, lamentou o prefeito, considerando a decisão uma afronta ao momento de crise financeira e queda de receita em todo o país.

“Entendo que o veto teria dado a oportunidade de reflexão aos vereadores para repensarem sobre as dificuldades enfrentadas pela população e administração municipal. Considerando que a crise deverá se estender por um período ainda longo, seria cauteloso manter os vencimentos do Executivo e Legislativo nos patamares atuais. Seria um gesto de respeito com o dinheiro público e consequentemente com o cidadão ponteserradense”, frisou Duda.

 

Os vereadores passarão a receber a partir de janeiro de 2017 R$ 4.922, sendo que o vereador no cargo de presidente do Legislativo ganhará R$ 5.400 por mês. Já o próximo prefeito terá salário de R$ 16 mil, o vice-prefeito receberá R$ 8 mil e cada secretário ganhará R$ 6 mil.

*Oeste Mais