Doação de sangue- catarinenses mais solidários

Por Portal DX 17/06/2017 - 09:12 hs

Nesta época do ano era comum a diminuição de até 5% nas doações de sangue em Santa Catarina. Uma campanha em todo o estado denominada “Junho Vermelho” fez com que pelo primeiro ano, o Hemosc não registrasse quedas nas doações nesta época do ano.

Lei Estadual

Já é lei, a campanha Junho Vermelho vai acontecer anualmente no estado catarinense como acontece em várias regiões do País. Através da proposição do deputado Antonio Aguiar (PMDB) uma campanha em nível estadual conscientiza os catarinenses a doar sangue especialmente neste mês de junho onde tradicionalmente acontecia uma redução no número de doações.

Frutos da campanha

Em seu primeiro ano de atividade em Santa Catarina, a Lei 16.694/2015 já deu seus primeiros frutos. Tradicionalmente havia uma redução nas doações de sangue no mês de junho em 5% no estado, no Brasil este percentual chega em 30%. A diminuição é associada ao clima mais frio e chuvoso o que afasta os doadores dos centros de doação. Neste ano, depois de veiculada a campanha nas mídias, não houve redução nas doações, ou seja, o programa Junho Vermelho ajudou a minimizar a queda na doação de sangue neste período que antecede ao inverno.

60 mil litros

Conforme dados do Hemosc -  Centro de Hematologia e Hemoterapia de Santa Catarina  - em 2016 cerca de 126 mil pessoas doaram em torno de 60 mil litros de sangue. Mesmo assim há períodos em que há falta de algum tipo sanguíneo. Para atender o desabastecimento o Hemosc entra em contato com os doadores regulares, que são as pessoas que são cadastradas na instituição e tem o hábito de doar regularmente. Hoje no estado mais de 250 mil pessoas são cadastrados nos nove centros de coleta.

Consequências

Quando há falta de sangue nos centros Hematologia e Hemoterapia ocorre um desequilíbrio no funcionamento dos hospitais. O risco de morte em pacientes que entram acidentados nas emergências é bastante grande quando há tal desabastecimento no estoque de sangue. Infelizmente muitos brasileiros se lembram de doar sangue apenas quando um familiar está em uma emergência de um hospital. Poucos doadores casuais se tornam doadores regulares.

As campanhas

A Campanha Junho Vermelho já está fazendo a diferença em muitas cidades brasileira. Felizmente a campanha mostrou em Santa Catarina e em outras regiões do Brasil, pelo primeiro ano, que as doações não caíram neste período, pelo contrário, em algumas cidades aumentaram. Torçamos para que mais pessoas sejam alcançadas e tocadas pela solidariedade deste gesto tão importante para a saúde humana – a doação de sangue.

 

O que é necessário para doar

Ter idade entre 18 e 69 anos, 11 meses e 29 dias

Doadores com idade de 16 e 17 anos de idade são aceitos para doação mediante a presença e autorização formal dos pais e/ou responsável legal

O limite de idade para primeira doação é de 60 anos

O candidato à doação deve estar em boas condições de saúde, sem feridas ou machucados no corpo

Pesar acima de 50 kg (com desconto de roupas)

Apresentar documento de identidade com foto, emitido por órgão oficial: RG, carteira profissional, carteira de motorista, etc.

Ter repousado bem na noite antes da doação

Evitar o jejum. Fazer refeições leves e não gordurosas, nas quatro horas que antecedem a doação

Evitar uso de bebidas alcoólicas nas últimas 12 horas

 

Evitar ir acompanhado com crianças, sem acompanhantes