João Rodrigues X Jean Wyllys

João Rodrigues X Jean Wyllys

Por Portal DX 04/10/2017 - 14:15 hs

A polêmica apresentação do ator no MAM em São Paulo, de mãos dadas com crianças e totalmente nu, causou indignação em todo o Brasil. Existem os que defendem a atitude, dizendo que aquilo é “Arte” e não pornografia ou pedofilia. Eu particularmente tenho saudades do tempo em que até o conteúdo da televisão era controlado pelos pais. Para mim é inadmissível tentar encontrar argumentos que possam justificar o ato de fazer crianças tocarem em homens nus. 

João Rodrigues foi muito bem

Na câmara dos deputados o clima esquentou e muito, com a polêmica manifestação do deputado João Rodrigues que considerou o caso como um ataque à família brasileira. João foi muito feliz ao levantar o debate em torno do que o ato pode causar no imaginário de pedófilos. “ Isso é para mexer com o subconsciente dos tarados do Brasil O Psicopata, tarado por criança, quando vê aquela imagem daquele patife, certamente dirá: Aí tudo pode” ressaltou Rodrigues. 

Quem defende é pilantra

O deputado foi mais incisivo ainda e na minha opinião, ainda mais correto, quando classificou como pilantras as pessoas que apoiam a pedofilia travestida de arte: “Eu não consigo acreditar que tem algum pilantra, algum vagabundo dentro desta casa que aplauda isso. Eu não acredito que tenha, porque se tiver tem que levar porrada”.

Patifes....

O deputado Jean Wyllys, em mais uma oportunidade perdida de ter ficado quieto, tentou argumentar, dizendo que a cena do homem nu de mãos dadas com crianças seria uma manifestação cultural. Um absurdo, aliás, deste deputado não se poderia esperar nada diferente. É o mesmo que há poucos meses criticou Sergio Moro após a condenação do ex-presidente Lula, citando assuntos sem contexto algum com o assunto, como a roupa usada pelo juiz, julgada como cafona pelo deputado e a cara do magistrado, que se segundo Wyllys, não combina com o próprio juiz. Lamentável sermos representados por políticos desta estirpe. Não podemos imaginar um Brasil nada melhor nas mãos destes patifes. Parabéns João Rodrigues.