Prefeitura e Funai buscam solução para índios alcoolizados em Xanxerê

Prefeitura e Funai buscam solução para índios alcoolizados em Xanxerê

Por Portal DX 19/10/2017 - 11:45 hs

Xanxerê - Representantes da Funai de Chapecó foram recebidos pelo prefeito Avelino Menegolla e a equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social, para debater a situação de vulnerabilidade de indígenas em Xanxerê. O encontro teve o objetivo de buscar solução quanto à presença de indígenas alcoolizados e crianças em situação precária no município.

O principal local de encontro dos grupos que deixam a Aldeia Indígena de Xapecó, entre Ipuaçu e Entre Rios, normalmente tem sido a rodoviária. Eles comercializam, pelo centro da cidade e nos bairros, os artesanatos e à noite se concentram no terminal, para lá repousar. “Temos essa preocupação, com índios alcoolizados, crianças fora da escola, um problema de saúde pública e estamos buscando a solução”, comenta o prefeito. Para a reunião, esteve presente também a chefe do Serviço de Promoção dos Direitos Sociais e Cidadania da Funai de Chapecó, Kelen Oliveira Fonseca, que orientou a administração municipal sobre a situação. O cacique da Aldeia Indígena Xapecó foi convidado para a reunião, mas não compareceu.

A administração deve, através da assessoria jurídica, comunicar o Ministério Público da situação, através de ofício. “Temos uma série de informações quanto à presença dos indígenas em Xanxerê, relacionadas às mais diversas violações de direito, como casos de saúde pública, alcoolismo, uso drogas e até registro de supostos delitos praticados, inclusive com violência sexual. A assistência social também tem verificado crianças em situação de vulnerabilidade. A questão preocupa porque a problemática é crescente, mesmo que tenham sido adotadas medidas tentado resolver o impasse. A Funai e o Sesai, como órgãos voltados à fiscalização e proteção dos indígenas, também precisam dar suas contribuições. Vamos comunicar o Ministério Público Estadual e Federal para os devidos encaminhamentos e atendimentos”, explica o assessor Fernando De Marco.