Chapecó terá sua primeira Gibiteca

Por Portal DX 02/03/2018 - 17:43 hs

Chapecó terá sua primeira Gibiteca
Fotos: Camila Almeida/ Divulgação PMC

 

Inaugura na próxima segunda-feira, dia 5 de março, às 19h30, na Escola de Artes, a primeira Gibiteca de Chapeó. O espaço, inédito no Município terá mais de 1 mil HQ’s (História em Quadrinhos), disponível para a consulta da comunidade.

A ação é uma ideia de Sidi Geremia, professor de Artes Visuais na Escola, e irmão de Silmar Geremia, falecido em Agosto de 2017. Todos os títulos que compõe a Gibiteca foram doados por Sidi e sua família e vêm da coleção particular de Silmar. “A ideia de ter uma Gibiteca pública junto à Escola de Artes de Chapecó sempre existiu. O falecimento do meu irmão Silmar deixou, além das grandes influências na vida de muita gente, da saudade e da dor, uma enorme quantidade de HQ’s que ele juntou ao longo dos anos”, explicou o professor.

Chamada de “Gibiteca Silmar Geremia”, em homenagem ao grande incentivador cultural, com renome na área do entretenimento e na divulgação científica, o acervo traz títulos clássicos, grandes quadrinistas e obras raras, com ênfase no gênero Super-herói.  Para Sidi, “a Gibiteca Silmar Geremia” surge como uma forma de homenagear esse grande homem e ao mesmo tempo compartilhar com a comunidade de Chapecó e região, a paixão que ele tinha pela arte e pela linguagem dos quadrinhos”, explica Sidi.

Dentre as mais de mil peças da Gibiteca, obras como a série “Marvels” ilustrada em aquarela pelo artista norte-americano Alex Ross e originais do Frank Miller, como “300 de Esparta” e “Batman, o Cavaleiro das Trevas”, integram o acervo. Além de títulos expressivos como o Hulk e o Homem Aranha, com mais de 100 revistas de cada um dos personagens.

De acordo com a Diretora da Escola de Artes, Emanoélli Capello, “Essa é uma novidade muito bem vinda na Escola, visto que ela existe para difundir e propagar a arte a cultura, aproximando a comunidades das diferentes ações voltadas à área. A Gibiteca é mais um passo nesse trabalho que humaniza o cotidiano e torna as pessoas melhores”, enfatiza.