Cordilheira Alta: Chapa única nunca mais

Cordilheira Alta: Chapa única nunca mais

Por Portal DX 12/04/2018 - 17:04 hs

 

Cordilheira Alta
Desde que surgiu as primeiras propostas para a Candidatura única em Cordilheira Alta eu sempre fui um incentivador para que os partidos entrassem em um consenso, logicamente, eu sabia que se o projeto fosse vencedor, como foi, na prática seria bem mais complicado. No segundo ano de governo de chapa única é perceptível o descontentamento de inúmeras lideranças do município sobre o governo de “chapa única”, que na verdade é mais o governo de uma pessoa do que um grupo de partidos.

O próximo pleito
Eu conversei com diversas lideranças de Cordilheira Alta e nenhuma delas acredita que esta composição de chapa única faça se valer no próximo pleito, primeiro porque mesmo lideranças que fazem parte do governo não acreditam na renovação da aliança, quanto mais daqueles partidos que ficaram de fora da composição do governo.

Portas abertas, mente fechada
De anda adianta eu abrir as portas de um gabinete se eu não abrir a mente para a discussão de ideias e projetos. Há quem acredita que tem experiência política suficiente para gerir um governo, mas falta-lhes, em primeiro lugar, a diplomacia de ouvir grupos diferentes, ouvir sugestões, mesmo que estas estejam em desacordo com o que pensa.

Novas lideranças
Um outro aspecto que vai dificultar a renovação da aliança da chapa única é o surgimento de novas lideranças políticas. Quanto maior o descontentamento com um governo, maior será o número de possíveis de adversários, quer dentro ou fora do próprio partido. Novos nomes fazem bem e enriquecem o processo democrático, algo diferente do que aconteceu na formulação da chapa única.

Marcelinho Graciani
Ele iniciou sua carreira política MDB, mas hoje é um progressista e gerencia a Secretaria de Agricultura do município. Não esconde para ninguém que tem o desejo de ser prefeito. Se é cedo para abrir o jogo, não sei, mas a verdade é que Marcelinho é jovem, vem de família com histórico político e não começa do zero, possui uma base eleitoral. Por conta disso, ele já está sendo sondado para migrar para outros partidos como o PSDB e até retornar para o MDB.

Trajetória
A decisão do secretário de Agricultura pode ser crucial para a realização de seu projeto político pessoal. Hoje Marcelinho faz parte do PP, que em minha opinião, junto com o PSD, farão oposição ao bloco do PMDB e PSDB no próximo pleito, ou seja, ou é um lado ou outro, já que dificilmente teremos o consenso de candidatura única no próximo pleito. As composições políticas vão se desenhando e a cada dia que passa fica mais claro de que uma grande disputa eleitoral será traçada em Cordilheira Alta.