Conselho de Ética aprova continuidade de processo contra deputado João Rodrigues

Conselho de Ética aprova continuidade de processo contra deputado João Rodrigues

Preso desde fevereiro, João Rodrigues não pode trabalhar na Câmara

Por Portal DX 03/05/2018 - 08:04 hs

 

O Conselho de Ética da Câmara aprovou na tarde desta quarta-feira, 2, a continuidade do processo por quebra de decoro parlamentar contra o deputado preso João Rodrigues (PSD-SC). O parecer do relator Ronaldo Lessa (PDT-AL) pela admissibilidade da representação da Rede Sustentabilidade foi aprovado por 9 votos a favor e um contra. O partido defende a cassação do mandato por sua condição de deputado presidiário.

Preso no início de fevereiro, Rodrigues foi condenado a cinco anos e três meses de reclusão, em regime inicial semiaberto, pela prática dos crimes de dispensa e fraude em licitação quando foi prefeito de Pinhalzinho (SC). Como revelou em março o Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado, mesmo encarcerado Rodrigues continua recebendo o salário de R$ 33.763,00 e mais de R$ 146 mil em recursos para manutenção do mandato. O mandato está vago desde então e a Mesa Diretora da Câmara ainda não convocou o suplente Edinho Bez (MDB-SC) para substituí-lo.

No mês passado, a juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, negou o pedido de Rodrigues para trabalhar durante o dia na Câmara. A magistrada alegou que não havia como assegurar que, após deixar o Complexo Penitenciário da Papuda, o deputado estaria efetivamente à serviço do mandato. A defesa de Rodrigues anunciou na ocasião que entraria com um agravo no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a decisão da juíza.

*Diário Catarinense