Projeto de redução de salários gera debate no legislativo xanxerense

Projeto de redução de salários gera debate no legislativo xanxerense

Vereadores questionam por quê no passado o proponente não foi favorável ao projeto

Por Portal DX 09/05/2018 - 08:01 hs

Por Joimara S. Camillotti / Folha Regional

Xanxerê – A primeira sessão do mês da Câmara de Vereadores foi marcada pela entrada do projeto de autoria do vereador Wilson Martins dos Santos (PSDB) que solicita a redução de 50% nos salários de vereadores, prefeito, vice e secretários. Se aprovado o projeto começa a vigorar já no mês de junho.  Poucos foram os vereadores que se manifestaram sobre o assunto.

Não é inconstitucional, diz proponente do projeto
O autor do projeto foi o primeiro a fazer uso da palavra e destacou  que o tema gerou uma certa discussão na sociedade, inclusive lembrando que ele foi taxado de demagogo por ter travado essa discussão.  “ O município não passa por uma situação financeira muito boa, houve uma queda na arrecadação, na saúde tem uma fila enorme de pessoas aguardando, a nossa proposta é de mostrar que há possibilidade de fazer converter esses recursos para a sociedade. Gostaríamos de contar com a compreensão da comunidade a  consticionalidade veda quanto ao aumento, já tem entendimento em vários segmentos a fora sobre essa redução. Vamos discutir de forma mais aprofundada para que a comunidade possa entender da melhor forma”, disse.

Para Tatu atitude é politiqueira
O vereador João Paulo Menegatti – Tatu (PTB) afirmou que foi ele quem disse que o colega tucano estava usando de demagogia e politicagem com o projeto. Ele lembrou que o assunto já foi discutido e Wilson foi contrário à redução na época. “E agora a opinião mudou? A arrecadação do município não caiu do ano passado para cá, pelo contrário aumentou. Isso é politicagem, minha gente”.

Tiecher diz que Wilson gastou mais de R$ 1 milhão em gastos quando presidente
Para o presidente da Casa, Leonir Tiecher (PT) o colega vereador teve a oportunidade de por o projeto em prática quando foi presidente e não fez. Ele lembra que já foi buscado reduzir as despesas do Legislativo e que as atitudes precisam ser tomadas quando se tem a oportunidade.  “Vossa excelência teve a oportunidade de reduzir e aumentou em mais de R$1 milhão os gastos. Com diárias foram mais de R$ 200 mil com sua equipe. Nós tratamos a política e o dinheiro de forma séria, o gestor tem que ter a sua remuneração e a responsabilidade da gestão do dinheiro público. Vamos mostrar a sociedade aquilo que for preciso”.

Jogada de marketing, diz Nathan Moreira
De acordo com o vereador Nathan Moreira (DEM) o projeto já ganhou repercussão e classificou como uma jogada de marketing. “Respeito as propostas dos vereadores, mas esse projeto tem minha objeção. Entendo que vereador trabalha muito pela função e a proposta se torna muito inconsequente. Estamos muito abaixo de níveis salariais de outras regiões com o porte de Xanxerê, mantemos aqui com nove vereadores o que poderia ter mais, um vereador em Xaxim ganha mais que um em Xanxerê.  Fico decepcionado, porque estamos diminuindo o poder legislativo. Vocês sabem a importância do vereador senão o prefeito faria o que quisesse, infelizmente é um projeto inconsequente. Acredito que não seja um projeto constitucional, não vejo como ter legalidade é muito mais uma jogada de marketing”.

Lovatel questiona salário de assessores e extinção de diárias
O vereador Arnaldo Lovatel (PSD) também foi enfático ao afirmar que o proponente do projeto poderia ter apresentado o mesmo quando foi presidente da Casa, porém não se mostrou contrário, mas sim que fará ajustes no mesmo. “Quando foi presidente da Casa teve oportunidade de fazer e não fez, tem gravações que mostram vossa excelência sendo contra a indicação apresentada.  Eu com certeza vou estar acompanhando o projeto, farei emendas para rever a questão de assessor de bancada, nem todo mundo sabe, mas tem assessor que ganha mais que vereador. Um assessor de bancada  pode ganhar no ano R$ 700 mil, isso somado as  diárias passaria de um milhão e  esse dinheiro ajudaria o executivo na construção de prédios para a farmácia central, vigilância, entre outros que pagam aluguel.  Muita coisa tem que ser revista para que se faça algo com coesão e traga frutos para o futuro. A questão de diárias é uma delas, sou favorável até a extinção da mesma”.