Procon autoriza supermercados a limitarem quantidade de produtos vendidos por cliente

Procon autoriza supermercados a limitarem quantidade de produtos vendidos por cliente

Por Portal DX 25/05/2018 - 09:25 hs
Foto: Patrick Rodrigues / Jornal de Santa Catarina

O Departamento Jurídico do Procon de SC autorizou que os supermercados do Estado, respeitando a legislação vigente, limitem a quantidade de produtos vendidos por cliente, diante da situação de desabastecimento por conta da paralisação dos caminhoneiros em todo o país. A autorização veio após uma consulta da Associação Catarinense de Supermercados (Acats).

Seguindo a recomendação do Procon, as lojas de supermercados associadas poderão fazer a limitação de itens por consumidor, sendo que a informação sobre a quantidade dos produtos a serem adquiridos por cliente deve estar exposta de forma prévia, clara e ostensiva na área de vendas da loja, para que o consumidor não seja surpreendido ao chegar ao caixa para repassar sua compra. Também deve ser divulgada a quantidade de produtos disponível no estoque.

A Acats informa que continua monitorando a situação em todas as regiões do Estado e espera que haja um acordo, num curto espaço de tempo, entre as autoridades e os representantes dos caminhoneiros, a fim de que as lojas de supermercados catarinenses possam novamente ser abastecidas dentro da normalidade.

A associação também detalhou que o desabastecimento é generalizado, sem nenhuma região mais crítica que outra, e que por enquanto nenhum mercado precisou fechar. Nas 1,2 mil empresas associadas à Acats faltam legumes, frutas e verduras; leite e derivados e também outros produtos perecíveis, como carne in natura.

Nas Centrais de Abastecimento do Estado de Santa Catarina (Ceasa/SC), a dificuldade é obter frutas e hortaliças. De terça para quarta-feira, a quantidade de alimentos recebida pela unidade de São José, que supre a Grande Florianópolis, caiu pela metade: de 330 para 163 toneladas.

Para efeito de comparação, na quarta anterior o volume foi de 654 toneladas, ou seja, houve queda de 75% em relação ao mesmo dia desta semana. Mamão e abacaxi são alguns dos produtos que estão com estoque baixo, já que eles vêm das regiões Norte e Nordeste do país e estão parados nos pontos de greve.

*Diário Catarinense