Postado em 04 de Fevereiro às 13h48

Após posse e confusão para presidência, Jorginho Mello afirma que Senado precisa resgatar credibilidade

Para o senador, o primeiro passo para a melhora da imagem do Senado é estar mais conectado com os anseios da população

Brasília - O senador Jorginho Mello (PR) tomou posse na última sexta-feira (1) e, após as confusões para a eleição do novo presidente do Senado, afirmou que é preciso resgatar a credibilidade da Casa.

“Começamos os trabalhos com péssimos exemplos, de roubo de pasta, com inimigos do voto aberto e muita confusão. O Senado sempre foi reconhecido como uma Casa revisora e teremos muito trabalho para resgatar um pouco de toda credibilidade perdida”, exaltou o catarinense.

Para o senador, o primeiro passo para a melhora da imagem do Senado é estar mais conectado com os anseios da população. “A mensagem do povo brasileiro era bem claro, queriam mudança na presidência e que a eleição fosse com voto aberto, mostrando em quem cada senador votou”, comentou Jorginho Mello, que votou em Esperidião Amin (PP) para que Santa Catarina comandasse o Congresso Nacional.

Durante a sessão de posse, o senador também anunciou que vai trabalhar para que o Governo Federal respeite mais Santa Catarina. “Vou continuar trabalhando como sempre trabalhei, com dedicação, com garra e para fazer com que o meu Estado de Santa Catarina seja respeitado pelo Governo Federal”, afirmou.

O Pacto Federativo, que trata da redistribuição de recursos para os Estados e municípios, foi a bandeira de campanha de Jorginho Mello. O senador citou um estudo da Receita Federal em que mostrou que a cada R$ 100 que os catarinenses enviam para Brasília em pagamento de tributos, apenas R$ 18,64 retornam em investimentos ao Estado.

Em comparação, para os sete estados do Norte houve um retorno de R$ 140 e aos nove nordestinos retornaram R$ 128. O Amapá e o Acre são os Estados que mais tiverem retorno, o triplo do arrecadado.

O senador Jorginho Mello também comentou que vai apoiar os projetos que contribuam para o desenvolvimento do Estado e do País. "Vou ajudar Santa Catarina e o Brasil a fazer as mudanças necessárias".

Veja também

Bolsonaro: invasão de terra tem que ser tipificada como terrorismo19/04 O presidente Jair Bolsonaro disse que pretende enviar ao Congresso Nacional um projeto de lei que tipifique a invasão de terras como crime de terrorismo. A declaração foi dada durante uma transmissão ao vivo em sua página no......

Voltar para Política