Postado em 20 de Dezembro de 2018 às 14h42

Governador Eduardo Moreira faz balanço positivo dos 10 meses de gestão em Santa Catarina

Além de conseguir reduzir os índices de criminalidade e aprofundar o processo de regionalização na Saúde, Moreira irá entregar o Estado ao governador eleito Carlos Moisés com um déficit inferior a R$ 600 milhões — enquanto o projetado no início do ano era de R$ 2 bilhões.

Florianópolis -Entregar um Estado em melhores condições ao seu sucessor do que aquele que encontrou, em 16 de fevereiro, quando assumiu o governo. Esse foi o objetivo do governador Eduardo Pinho Moreira ao longo de seus pouco mais de 10 meses de mandato, que se encerra no dia 31 de dezembro. Moreira recebeu jornalistas em seu gabinete para apresentar um balanço de sua gestão e dizer que deixa o cargo com a sensação de dever cumprido.


Além de conseguir reduzir os índices de criminalidade e aprofundar o processo de regionalização na Saúde, Moreira irá entregar o Estado ao governador eleito Carlos Moisés com um déficit inferior a R$ 600 milhões — enquanto o projetado no início do ano era de R$ 2 bilhões.


“Aquilo que propus como prioridades, já que não há recursos para tudo, eu consegui, que era a redução da criminalidade e (aprofundar) a regionalização da Saúde, levando a resolver os problemas próximo das residências das pessoas. Foram duas ações às quais nos dedicamos. E entrego o Estado muito melhor, do ponto de estrutura físico-administrativa. Tivemos grandes conquistas e reduzimos o déficit anunciado no início do ano. É uma economia, por gestão, de mais de R$ 1,4 bilhão. Muito significativo”, falou Moreira.


O governador ainda relembrou a desativação de 15 Agências de Desenvolvimento Regional (ADRs) e quatro secretarias centrais — seu primeiro ato de governo, que gerou economia de aproximadamente R$ 30 milhões — e afirmou que houve uma recuperação da economia catarinense, com um crescimento da arrecadação de 7,88% no acumulado de janeiro a novembro, na comparação com o mesmo período do ano passado. O cenário mais favorável permitiu ao Estado voltar ao limite legal da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) de gastos com folha de pagamento, passando de 49,73% para os atuais 48,87%.


Especificamente em relação à Saúde, o governador salientou que o Executivo repassou os 14% da receita líquida à pasta, determinados pela PEC da Saúde, e isso garantiu um investimento na área 14,07% maior em relação a 2017. Moreira também afirmou que a dívida do setor foi consideravelmente reduzida, passando de R$ 1,08 bilhão para algo entre R$ 600 e R$ 700 milhões.


Na Segurança Pública, a redução nos homicídios foi de 22,1% até o dia 11 de dezembro. Latrocínios (-33%), lesões corporais seguidas de morte (-32%) e feminicídios (- 19%) também registraram quedas significativas. Nos crimes contra patrimônio, houve queda de 31,2% nos roubos e de 16,5% nos furtos.


Por fim, Moreira desejou sucesso ao próximo governador e disse que estará na torcida pela administração de Moisés a partir de 1º de janeiro.

(fonte: Secom)

Veja também

Militares brasileiros vão à Espanha ouvir sargento preso com drogas02/07 Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (2) que uma equipe de militares brasileiros irá a Espanha para ouvir o sargento da Aeronáutica preso no final de junho ao transportar drogas em um......

Voltar para Política