Postado em 14 de Junho às 13h14

Nada ilícito, apenas um "descuido formal", diz Moro, sobre vazamento de conversas

PORTAL DX - O melhor da informação da Região Oeste de Santa Catarina foto: Arquivo Agência Brasil O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse hoje (14) que pode ter cometido um "descuido...

foto: Arquivo Agência Brasil

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse hoje (14) que pode ter cometido um "descuido formal" ao trocar mensagens com membros da Força-Tarefa Lava Jato por meio de um aplicativo de mensagens.

"Eu não cometi nenhum ilícito. Estou absolutamente tranquilo em relação a todos os atos que cometi enquanto juiz da Lava Jato" , disse o ministro durante apresentação do esquema de segurança da Copa América, evento que começa na noite de hoje, em São Paulo.

"Eventualmente, pode ter havido algum descuido formal, mas, enfim, isso não é nenhum ilícito", disse o ministro. "Temos que entender o contexto do trabalho que havia na 13ª Vara naquela época. Atendiamos a várias questões urgentes, operações que envolviam o enfrentamento a pessoas muito poderosas envolvidas em corrupção. Então, tinha uma dinâmica de trabalho que era muito intensa", acrescentou Moro, dizendo que não considera que receber uma notícia-crime e repassá-la ao Ministério Público pode ser qualificada como conduta imprópria.

Moro voltou a afirmar que não tem como comparar as mensagens que eventualmente tenha trocado com o procurador Deltan Dallagnol, chefe da Força-Tarefa Lava Jato em Curitiba, com as reproduções de trechos dessas conversas que vêm sendo publicados pelo site de notícias The Intercept Brasil. O ministro, no entanto, reiterou que o teor das conversas, além de descontextualizados, podem ter sido retirados de contexto.

"A PF vem investigando os fatos com autonomia", acrescentou o ministro, reconhecendo a dificuldade de rastrear a pessoa ou as pessoas suspeitas de hackear conversas de autoridades.

O site The Intercept não revela a origem das mensagens que afirma ter recebido de uma fonte anônima. A Constituição Federal reserva a todo jornalista o direito de não revelar suas fontes de informações. (Agência Brasil)

Veja também

Saretta questiona Moisés: Como vai quitar débitos investindo menos em saúde?02/05 FOTO: Rodolfo Espínola/Agência AL Ao usar a tribuna na Assembleia Legislativa, o deputado Neodi Saretta (PT) voltou falar sobre a crise na saúde catarinense. O deputado, que é presidente da Comissão de Saúde, disse estar preocupado com a possibilidade de paralisação no atendimento das UTIs dos hospitais públicos do estado em função da......

Voltar para Política